COACH DO DIA: POR QUÊ?

porque eu

Era uma sábado de verão, a família brincava a beira da piscina, a mãe entra na casa para preparar uma mamadeira para seu filhinho de 3 anos, os outros irmãos brincavam correndo de um lado para o outro. Era uma questão de minutos, a mãe volta com um lanche, chama a todos e percebe que o menor não estava, sente uma dor no peito, olha em direção à piscina, um pequeno corpo boiava de cabeça para baixo, um desespero toma conta da mãe, tiram a criança da água, parece que esta desacordada, sua mãe desesperada a leva para a emergência do hospital, ao entrar os médicos iniciam um processo de reanimação respiratória, a colocam na máquina respiratória, a mesma não reage, está em um coma, dependente totalmente do respirador. A equipe médica teme pelo pior. Quanto tempo ficou sem oxigênio? Até que ponto seu cérebro estava afetado? Aquele menino com uma aparência saudável estava em coma profundo.

O capelão é chamado para a contenção emocional dos familiares, chegam outros, familiares e amigos. A mãe esta em estado de shock, não si perdoa por seu descuido. Passam as horas e depois de muitos testes, chega-se a um diagnóstico: Existe morte cerebral, não existe retorno, a mae olha para mim e grita… Por que Deus? Por quê? É um grito da alma, um grito de dor, eu como capelão não tenho palavras ou respostas, somente lágrimas e silencio.

Quantos de nós já passamos por experiências onde este grito estava presente? Por quê? Lembro-me de quando recebi a noticia da morte de meu pai em um acidente de automóvel, meu grito foi: Por que Deus? Porque isto esta me passando agora? Neste momento parece que o céu se fecha, existe um silencio de Deus. Na bíblia encontramos a história de Jó, “Um homem integro e reto, temente a Deus (Jó 1:1), que em menos de 24 horas, perdeu toda sua família e sua fortuna”.

De outro lado, vamos encontrar pessoas que desejam ser advogados de Deus, como si Deus necessitasse de algum. Estes são aqueles que na hora de uma tragédia, buscam sempre uma explicação para o acontecido, pensam que queremos uma resposta , quando na verdade, apenas estamos expressando nossa angustia e dor.

Os amigos de Jó, quando foram para consolá-lo , ficaram em silencio sete dias e sete noites, mas depois começaram a especular e buscar uma explicação teológica para a tragédia de Jó. Que pecado havia cometido Jó, para receber tão grande castigo? Que fez Jó para levantar a ira de Deus contra ele? Como “estes amigos”, existem muitos que diante da dor de um ser, estão buscando uma explicação do; PARA QUÊ? Como si Deus tivesse que nos fazer passar por uma tragédia, uma perda ou enfermidade, para nos ensinar alguma coisa. Por acaso quem como pai vai provocar ou planejar uma tragédia, um acidente ou contaminar um filho com um vírus, para que o mesmo pudesse ter uma experiência de amadurecimento ou crescer espiritualmente?

Deus não é um Deus vingativo, mas sim um Deus de amor e que sofre com nossa dor, que conhece nossa alma dolorida. Vivemos pela graça e não sobre a lei de olho por olho.

Meu cunhado as duas da madrugada me chama para dar a notícia da morte de meu pai, em sua crise, só conseguia repetir a expressão: “Deus é bom…”, quem me chamaria a esta hora, só para dizer que Deus é bom? Muitas vezes queremos espiritualizar e buscar uma justificativa, mas Deus não necessita de ninguém para justifica-lo.

Em minha inocência de capelão, fui a consolar uma mãe, que acabava de perder seu bebe de três meses, disse: “Mamí, agora seus filhinho é um pequeno anjo na presença de Deus”, a mãe me responde: “Capelão, eu não quero meu filho como um anjo no céu, eu quero ele aqui, agora vivo e em meus braços”.

Meu querido leitor/a, a questão não é “O POR QUÊ”? NEM O PARA QUE? São mistérios de Deus, o que sei é que ele conhece minha dor, a dor de um Pai que viu seu único filho sofrer a morte de cruz.
O que eu sei, é que em minha dor, pude experimentar “a Paz que sobrepassa todo entendimento”, o que sei é que Deus não me abandona, ainda que no momento tivesse este sentimento. O que sei é que olhando para trás, vejo que Deus transformou aquela experiência de dor, em um processo de reconhecimento de minha humanidade e dependência total de Ele.
É por isto que creio por fé e vivo por fé, sabendo que hoje é o dia que Deus me deu e que devo viver e dar o melhor de mim, para meu próximo e para sua Gloria.

Odenir Figueiredo Jr.

Capelão e Coach

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

w

Conectando a %s