COACH DO DIA: UMA PASTORAL DO CAMINHO(4)

eu sou o caminho

“O CRISTO DO CAMINHO, DIVINO E HUMANO”.

O Cristo do caminho, é o Emanuel – “Deus conosco”, é o Logos divino que se fez carne e habitou entre nós. É a encarnação do Divino, totalmente Divino e totalmente Humano.

O Grande Sumo Sacerdote, que conheceu as limitações do homem em sua própria carne.

“17 Por essa razão era necessário que ele se tornasse semelhante a seus irmãos em todos os aspectos, para se tornar sumo sacerdote misericordioso e fiel com relação a Deus, e fazer propiciação pelos pecados do povo. 18 Porque, tendo em vista o que ele mesmo sofreu quando tentado, ele é capaz de socorrer aqueles que também estão sendo tentados”. (Hebreus 2: 17- 18)
“15 pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado. 16 Assim, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade”.(Hebreus 4: 15-16).

O Cristo do Caminho era um homem com um genograma familiar, onde encontramos 42 gerações. Para conhecê-lo devemos conhecer também sua genealogia, onde vamos encontrar uma diversidade de personagens. (Mateus 1: 1-18); Livro da genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abrão.

O Cristo do caminho nasceu dentro de circunstancias conflitivas, sua mãe ficou gravida , quando ainda era virgem, este evento criou um conflito de relação com seu noivo, uma crise de grandes proporções, levando em conta os costumes e leis daquela época. Si não fosse a intervenção divina no processo, certamente Maria seria uma mãe solteira ou poderia sofrer a pena de morte.
O Cristo do Caminho tem sua origem em uma família pobre e humilde, seu pai humano era um carpinteiro. Ao nascer o Cristo do Caminho, nao teve um lugar digno para nascer, uma estrebaria foi sua maternidade.

O Cristo do Caminho, em seus primeiros anos de vida foi um imigrante, seus pais para fugir da perseguição de Herodes, foram viver no Egito. O Cristo do caminho, foi um operário, era um jovem carpinteiro, com certeza passou por muitas lutas espirituais, físicas e emocionais. Pode viver dentro de ambiente politico e social de opressão, vendo seu povo viver sobre o domínio de uma nação poderosa, imperialista, que haviam invadido sua pátria. O Cristo do Caminho sabia o que era viver sobre uma ditadura estrangeira e opressora.

O Cristo do caminho foi um filho obediente aos princípios de seus pais: Foi ensinado dentro dos princípios religiosos de seus pais, cumprindo todos os rituais, foi circuncidado e levado ao templo aos 12 anos de idade, e acompanhou seus pais nas festas religiosas, assim como em suas tradições religiosas.

O Cristo do Caminho, ainda que Divino, em sua humanidade, conheceu a dor daqueles que não gozavam dos privilégios, vividos por seus patriotas que se venderam ao Estado.
O Cristo do Caminho conheceu a hipocrisia de seus lideres religiosos, a espiritualidade enferma dos mesmos e a discriminação dos menos favorecidos.

O Cristo do Caminho foi um homem que tinha sede, fome, que necessitava de descanso, que cultivava um tempo de reflexão com sigo mesmo, é o Cristo, que foi tentado depois de está 40 dias de jejum e meditação no deserto.

Foi o homem do Getsemaní, onde passou por sua mais difícil prova e crise emocional e espiritual, seu estres foi tao grande, que suava gotas de sangue. O Cristo do Caminho, foi o homem que disfrutava do companheirismo (formou uma linda amizade com Lázaro e suas irmãs), é o homem que chorou diante da morte do amigo, que sabia expressar suas emoções e sentimentos. Demonstrou sua ira diante dos fariseus, sua ira e ação enérgica a derrubar as mesas dos cambistas no templo, era zeloso em sua espiritualidade.

O Cristo do Caminho, é o Cristo de relações sociais, esteve presente em uma festa de casamento, onde realizou seu primeiro milagre, provendo o vinho que tinha acabado. É o homem que frequentava a casa daqueles que eram discriminados e rejeitados pela sociedade religiosa. Esteve na casa de Zaqueu, um publicano, teve um encontro com a mulher samaritana, tocou em um leproso, se deixou ser ungido por Maria Madalena. O Cristo do Caminho, desafió com sua atitude os Paradigmas de sua Sociedade.

O Cristo do Caminho passou pelo vale da humilhação, da dor, da traição de seu discípulo Judas e a negação de Pedro.

É o Cristo que sofreu injustamente a morte de Cruz. Foi levado ao calvário por seus próprios lideres religiosos.

Este Cristo do Caminho, totalmente homem e totalmente Divino, teve o cuidado de não perder o controle e teve a capacidade de perdoa todos os seus agressores.

Creio que uma Pastoral do Caminho e no caminho, tem seu inicio quando nos humanizamos. Quando perdemos a dimensão de nossa humanidade, ficamos incapazes de reconhecer a humanidade do outro.

Cristo foi o modelo, do Divino que se fez Carne e habitou entre nós, e sua Encarnação foi a chave e o fundamento de seu ministério.
A Humanidade de Jesus foi sua credencial para sua PASTORAL NO CAMINHO.

(Textos extraídos do Livro; “Uma Pastoral Del Camino, en El Valle Del Dolor” – Odenir Figueiredo Jr.)

Pr. Odenir Figueiredo Jr.
Capelão e Coach

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s